Aromas e florais na cura psicossomática

Nos pergaminhos do Rig Veda, considerado a literatura indiana mais antiga, escrito entre 1200 AC – 3000 AC, há referências sobre o poder medicinal das plantas. Pesquisadores descobriram, no Iraque, ao lado de um esqueleto de seis mil anos, vasilhames contendo pólen de flores medicinais nativas. Indícios arqueológicos estimam que as práticas xamânicas têm de 20 a 30 mil anos de idade. O uso de ervas em tratamentos naturais contra doenças, fitoterapia, é cada vez mais usado no Brasil. Assim como as terapias que fazem uso do extrato dos aromas naturais e o óleo das flores. As práticas holísticas citadas acima são, respectivamente, aromaterapia e florais. Duas recém divorciadas na novela das 8 da Globo, Noêmia e Ivana, estão usando florais. Vocês já viram elas com um vidrinho na mão colocando gotinhas na boca?

O uso de flores para apaziguar sintomas que causam mal à saúde foi descoberto pelo médico inglês Edward Bach, em 1928, na época um bacteriologista reconhecido no meio. Impulsionado pelos primeiros conhecimentos homeopáticos, Bach observou sintomas mentais específicos do comportamento humano e criou 38 fórmulas florais para tentar dissolver os sofrimentos e enfermidades geradas na psique. Já a aromaterapia compreende uma série de práticas com base nos princípios ativos do perfume das plantas para sanar, psicossomaticamente, patologias físicas, emocionais e mentais.

Os aromas estão presentes em todos os lugares, na nossa memória e nas relações interpessoais. Lembra a sensação de bem estar ao sentir o cheiro reconfortante da casa da avó, da hora do lanche no jardim infância, de um perfume que gostamos? Quando estamos em contato com aromas apreciados a nossa fisionomia se alegra. Quando sentimos um odor ela se retrai. O nosso organismo responde, automaticamente, aos estímulos. O sentido do olfato na vida de um deficiente visual, por exemplo, é um verdadeiro piloto.

Os óleos aromáticos podem ser usados em banhos, massagens, inalações, assepsia bucal, gargarejos, compressas e posologia por via oral. Para cada sintoma é usado um aroma, por isso é necessário um conhecimento apurado para a automedicação ou a indicação de um terapeuta holístico experiente. Particularmente, gosto muito do Espaço Quintessência, “um verdadeiro oásis no bairro das Graças”, ouvi de uma aluna de yoga assídua. Lá redespertei os sentidos adormecidos do meu olfato. Primeiro ao me deparar com um armário de incensos de várias fragrâncias, vários lugares e finalidades.

Aromas (Foto: Divulgação)

Voltando aos Florais de Bach, e também à filosofia do Rig Veda, ele lembrou a importância de tratar a pessoa (a alma), além da doença. O médico acreditava que podia restaurar, por exemplo, a esperança perdida nas pessoas que acreditam que não conseguem mudar. “As ervas curam nossos medos, nossas ansiedades, nossas preocupações, nossas falhas e nossos erros, são estes que nós devemos detectar e não a doença, não importando qual seja, ela acabará” (Edward Bach, no livro “Os Doze Curadores”).

O floral “Star of Bethlehem” é receitado para curar traumas de uma notícia grave, a perda de um ente querido, o medo que se segue depois de um acidente. A flor “Water Violet” ajuda a levar alegria e abertura para as pessoas reservadas, sérias, solitárias. A “Gorse”, de acordo com Julian Barnard, no livro Remédios Florais de Bach – forma e função, “chacoalha e desperta a mentalidade de alguém que está doente e tornou-se resignado ao destino”. Existem florais que ajudam crianças a deixarem de fazer xixi na cama, ativam a concentração, ajudam a fechar escoriações, dão coragem para os que sofrem de síndrome do pânico, entre outras possibilidades.

De acordo com Carmen Monari, do Instituto Dr. Edward Bach do Brasil, fundado em 1990, em São Paulo, “cada floral fará a transformação da visão, dos sentimentos e emoções para que participemos da vida e sejamos nós mesmos, mas nunca mudará o nosso ser, mas o nosso estar. Os Florais de Bach são a vida que as flores nos doam para tocar essa parte sutil do nosso corpo. Vamos chamar essa parte sutil a que faz o contato da alma com o nosso corpo físico”. Já o pesquisador, escritor e fitoterapeuta Julian Barnard acredita que os florais nos ajudam a mudar de direção, “eles nos ajudam a mudar, por exemplo, do caminho que leva à dor da impaciência e da irritação para o caminho do suave perdão que aliviará o coração”.

Espaço Quintessência
O Espaço Quintessência oferece yoga, Florais de Bach e Saint Germain, aromaterapia, resurfincing/avatar, meditação, reike, massagens. Além de possuir uma loja linda com livros, cds, roupas, acessórios, incensos e produtos naturais. Estou viciada – como é bom ter vícios saudáveis, no Kefir da Biologicus encontrado no espaço. Se vendesse em todas as esquinas seria o meu refrigerante. A empresa tem um trabalho confiável, é incubada no Instituto de Tecnologia de Pernambuco (Itep), e totalmente do bem. Entre no site da Biologicus, conheça o projeto e os alimentos probióticos.

Espaço Quintessencia (Foto: Divulgação)
Espaço Quintessencia (Foto: Divulgação)

Espaço Quintessência, Rua das Creoulas, 294, Graças.
Telefones: 3423-5653/ 8611-1960.