Dia das Mães – Dicas de Livros

Mãe arquiteta – “As Construções de Brasília”. O livro apresenta 157 imagens com textos de Lorenzo Mammi, Anat Falbel, Sergio Burgi e Heloísa Espada. As fotos fazem parte do acervo do Instituto Moreira Salles e mostram a beleza arquitetônica moderna da capital do país a partir de fotografias de Marcel Gautherot, Caio Reisewitz, Thomaz Farkas, Mauro Restiffe e Peter Scheier. Editora: Instituto Moreira SA. Valor aproximado: R$ 85.

Mãe espiritualista – “Quando dormem as feiticeiras”, de Carlos Costa. Mulheres ativas, corajosas e sábias costumam assustar os homens até hoje, imagine em 1491, nas velhas cidades de Albi e Cordes, na França – onde é ambientado o livro. É comum ver homens correrem sorrateiros quando encontram uma mente feminina desenvolta e autoconfiante. Só os mais sensíveis percebem que não somos uma grande ameaça. Na Idade Média, mulheres espiritualistas que adoravam plantas e animais eram chamadas de bruxa, investigadas e punidas pelos inquisidores. Editora: Novo Século. Valor aproximado: R$30.

Mãe dona de casa – “Henry & June”, de Anaïs Nin. Publicado nos anos 80, o livro foi extraído do diário da escritora, o qual manteve durante 45 anos. O livro é um relato sobre sua vida íntima, a conquista da liberdade sexual, seu caso com o escritor Henry Miller, a paixão por sua esposa June. O desabrochar sexual e moral de uma dona de casa e amante das letras. Anais foi uma das precursoras das lutas pela emancipação sexual da mulher no século 20 em Paris. Nos anos 90, o livro foi adaptado para o cinema, com Maria de Medeiros e Uma Thurman nos papéis de Anaïs e June. Editora: L&PM Pocket. Valor aproximado: R$15.

Mãe esportista – “Treinamento de Flexibilidade: da teoria à prática”, de Ercole da Cruz. O estudo da flexibilidade é fundamental para quem está envolvido com qualquer tipo de exercício físico. Entender o que acontece em função dos exercícios de alongamento, nos seus mais variados aspectos, é imprescindível para o desempenho esportivo, para a reabilitação de indivíduos e também para quem busca saúde e qualidade de vida nas atividades diárias da população. O livro discute o assunto, que é complexo e envolto de uma série de mitos. Editora: Spint. Valor aproximado: R$ 30.

Mãe musicista – “Brasil Rito e Ritmo”, de Leonel Kaz. O livro aborda a história da música brasileira e contém dois CDs, 200 imagens e textos de Kaz, Ricardo Cravo Albim, Tárik de Souza, João Máximo e Luís Paulo Horta. É uma reunião do melhor da música, explicita o surgimento dos ritmos, o desenvolvimento dos cantores, o momento social e político em que canções célebres foram criadas. De Tom Jobim aos Novos Baianos. Ernesto Nazareth, Cartola, Gilberto Gil, Caetano, Jorge Mautner e por aí vai. Editora: Aprazível. Valor aproximado: R$180.

Mãe atriz – “Antologia Do Teatro Anarquista”, de Avelino Foscolo, Marino Spagnolo e Pedro Catallo. Durante a primeira metade do século 20, à margem do teatro comercial, muitas peças foram escritas e representadas por operários – sapateiros, alfaiates, vidreiros, entre outros – que faziam parte de associações e grupos filodramáticos em várias cidades brasileiras. Na ‘Cronologia’ organizada por Maria Thereza Vargas o leitor encontrará informações preciosas sobre essas atividades voltadas para uma plateia formada quase que exclusivamente por trabalhadores. Este volume traz uma amostra da dramaturgia feita por operários simpáticos ao Anarquismo – ‘O semeador’, de Avelino Fóscolo; ‘A bandeira proletária’, de Marino Spagnolo; ‘Uma mulher diferente’, de Pedro Catallo. Editora: WMF Martins Fontes. Valor aproximado: R$ 45.

Mãe poetisa – “A arte de amar”, de Ovídio. “A arte de amar” é um título que seduz por sua simplicidade e inquieta por sua ingenuidade. Pode-se perguntar se é necessário, útil ou conveniente ensinar esta arte, que parece evidente, fazendo parte dessas coisas tão compartilhadas e tão comuns a todos sem que seja preciso ensiná-las. Mas Ovídio não ensina o sentimento, mas a habilidade; não o amor, mas a sedução. Reconcilia os dois sexos e dá à mulher sua participação e sua iniciativa neste jogo sério e leviano do qual séculos de ‘civilização’ a excluíram. Editora: Pocket. Valor aproximado: R$ 11.

Mãe onírica – “Alice”, de Lewis Carroll. “Alice” é um livro leve, escrito com fantasia e lirismo. Carroll conta a história de uma menina, cansada do tédio do campo, que segue um coelho falante e cai em um buraco fundo que a leva para o País das Maravilhas. Um lugar povoado por seres mágicos e dominado pela Rainha de Copas. Editora: Jorge Zahar. Valor aproximado: R$ 16.

Mãe poderosa – “Por que os homens amam as mulheres poderosas?”, de Sherry Argov. Sherry discorre sobre as mulheres boazinhas, sobre os princípios da atração, sobre a mulher que oferece um desafio mental e por isso torna-se mais atraente, da mulher poderosa e autoconfiante. “As garotas boazinhas precisam aprender algo que as mulheres poderosas já sabem. As concessões excessivas e a ânsia de agradar diminuem o respeito que o homem tem pela mulher e acabam com a atração que inicialmente os aproximou. Os homens, em geral, não se sentem desafiados quando se veem diante de uma mulher que não mede sacrifícios para conquistá-los. Elas não oferecem o desafio mental que os homens procuram”. (trecho do livro). Editora: Sextante. Valor aproximado: R$ 20.

Mãe administradora – “10x sem juros”, de Samy Dana e Marcos Cordeiro Pires, ajudará sua mãe a conciliar a sua renda com a vontade de comprar, às vezes até o que é superfulo. Por meio de cálculos simples Samy ensina a manter os gastos equilibrados, fala sobre os juros e as propagandas chamativas dos produtos “em promoção”. Editora: Saraiva. Valor aproximado: R$21.

Mãe solteira – “Cris, a fera & outras mulheres de arrepiar”, de David Coimbra. O livro tem um diálogo super moderno, sedutor, e traz histórias de mulheres famintas por sexo, poder e vingança. O escritor desconstrói a visão clássica das mulheres como sexo frágil e as retratam com atitude, mulheres determinadas, seguras e loucas por aventuras. Editora: L&PM Pocket. Valor aproximado: R$15.