Leão

O ser imerso no barro vivo, dispõe da beleza do brilho original, quando irradia de si a força solar e manifesta da presença do eu. No firmamento, o elo entre o céu a terra se faz pelo esplendor da criação, mas é o sol que vivifica os seres pela paternidade celestial. Rompe as sombras da insensatez e revela o sal cristalino da terra, o sabor do mundo na matéria. A generosidade então, como anjo expressivo que é, estende seus benefícios a todos.

Do lugar da terra sagrada, do horizonte eqüidistante entre a verdade e a fé, nos traz a virtude da honra para partilhar no mundo. Planta o trigo brilhante e dourado nos campos que geram os ideais dos homens. Do elemento ígneo singular, do plasma viril queimando a si mesmo em ciclos de existência, pela dignidade divina do existir e dos resquícios de massa massiva de luz estelar, nasce a auto-estima.

E do amor de amar-se, quando pelo exercício da vontade não-excludente do outro, emerge a consciência íntegra da individualidade, poeira cósmica gravitando um sol central.