Econominha, tenho uma empresa particular

A vida tem um quê de fortuna que é valia dos experientes e senhora dos bens. Onde somos responsáveis pelos investimentos, brutos ou líquidos. Há quem se dedica a atividades agrícolas no meio das vacas, galinhas e porcos, enquanto outros cuidam das terras para semear bons frutos. Há quem empresaria a vida etílica e engarrafa os sentimentos, enquanto outros bebem realizações. Há os distribuidores do profano no comércio das carnes, enquanto outros proferem os valores da vida. Assim como há os que prestam serviço aos desejos e futilidades e os que emprestam sua rica humildade.

Na existência é preciso lucrar com as ações e expandir os negócios. A renda dos sentimentos é a vantagem do investidor. Seja fiel aos seus fundos, cuidado com a demanda. Segundo a teoria marxista: “Os meios de produção estão no processo de transformação da própria natureza.” Se posicione no mercado positivamente e abra os caminhos das oportunidades. Não confunda lucro com depreciação, onde o cálculo administrativo pode ser o de poupar a sua vida útil a longo prazo. Na competição, constituir estoques é desvantagem por imobilizar o capital, no chamado trade-off seja monopolístico. Haja tempo, trabalho e produção para o efeito do poder aquisitivo.

Não importa a forma de linguagem se a quantidade de oferta está nas possibilidades em que nos dedicamos à liberdade. A vida pode ter uma visão econômica, dependendo de como você a observa. Escolher o caminho certo é o equilíbrio de consumo é fundamental. A busca pelo dinheiro parece mais importante do que a posição que se colocam nas prateleiras. Na beleza estereotipada em clínicas de estética. Nas cores de um anúncio de peças íntimas… Em tecnologias de toques digitais e não de pele. Então, seu repertório é o saldo da balança comercial do sistema em que foi dedicado seu conhecimento. Ter experiência é ser afortunado de beldades naturais, é sentir e ser humano por saber amar a vida.

  • Maria Helena

    Gostei muiito msm, espero ler outros *–*

  • camila

    O espírito capitalista entrou no modo de viver e agir das pessoas.
    é isso, Dani. Gostei do texto!