Desventuras e aventuras de quem mora só

Lavar roupa, arrumar a casa, cozinhar, fazer compras… Tudo isso é obrigação de mulher, certo? Errado! Há muito tempo que as tarefas domésticas deixaram de ser uma “exclusividade” do sexo feminino e estão cada vez mais presentes no dia a dia dos homens. Há aqueles que dividem as atividades do lar com a esposa e aqueles que moram sozinhos e precisam pôr mãos à obra. Eu me enquadro neste segundo grupo.

Tenho 29 anos e moro só há seis. E desde o início tenho responsabilidade sobre o meu apartamento. Minha mãe mora por perto e a namorada tem uma cópia da chave, mas da minha casa tomo conta eu. No começo, quando encarei o desafio da independência, meus amigos e amigas olhavam com aquele ar desconfiado de que a aventura iria durar pouquíssimos meses. Para todos, era uma questão de tempo desistir da empreitada. As perguntas mais freqüentes eram: “Quem faz sua comida?” e “Quem lava sua roupa?”.

Em pleno século XXI – saí da casa de minha mãe em 12 de julho de 2003 -, eu me surpreendia com atitudes tão conservadoras. E elas vinham de todos os lados, homens e mulheres. Eu achava que a dúvida era focada apenas em cima deste que vos fala. Depois, percebi que o problema não era comigo. Não é que as pessoas duvidassem de minha competência doméstica, mas elas estavam acostumadas a ver determinadas tarefas ficarem nas mãos de… mulheres.

Hoje, para os mais íntimos não é mais surpresa que eu “pilote” o fogão da minha casa ou dedique a manhã do sábado a coisas tão prosaicas quanto fazer feira ou lavar o banheiro. Porém, cada novo conhecido que passa a fazer parte do meu círculo de amizades continua se espantando. E lá vou eu explicar que não tem nenhum bicho de sete cabeças em fritar um ovo ou lavar uma meia dúzia de pratos e telhares. É até terapêutico.

A propósito, um jornal americano, o Journal of Family Issues, publicou um estudo em que revela que casais que fazem faxina juntos praticam mais sexo. No total, a pesquisa entrevistou mais de 6.800 casais e em resumo diz o seguinte: quem é mais ativo tem mais relações sexuais. E se a atividade, seja ela uma faxina, é feita em parceria quem sai ganhando é sintonia no relacionamento.

Ok, essas pesquisas muitas vezes são um misto de falta do que fazer com engodo científico. Mas, caros colegas do sexo masculino, não custa nada assumir um pouco da responsabilidade pelos serviços da casa. Palavra de quem cuida de uma sozinho e nem por isso deixa de se divertir.

  • Camila

    Há de chegar um dia em que todos pensem assim. Ou quase assim. =)

    Muito bem, garoto. Ótima estreia.
    🙂