Vegan: Vida saudável no prato

Não é novidade para ninguém que nas últimas décadas o país viveu uma mudança radical nos hábitos alimentares. Substituiu-se os preparos caseiros dos alimentos regionais pelos alimentos industrializados, ricos em gorduras, açúcares, sal, corantes e conservantes. Isso tudo aliado ao baixo consumo de verduras, legumes, frutas e a presença de fast foods, que sacramentou de vez essa transição. Esse quadro fez com que os casos de obesidade e outras doenças associadas à má alimentação como hiperlipidemias, hipertensão, diabetes e doenças renais tivessem um aumento abrupto nos últimos anos.

A população está pagando o preço por uma prática alimentar não saudável e já se pode perceber uma corrida para fazer o caminho inverso: cada vez mais, as pessoas estão se preocupando com o que ingerem. Sistemas alimentares como o vegetarianismo e suas vertentes, o ovo-lacto vegetarianismo (que permite o consumo de ovos e leite) e do veganismo (que não permite nenhum alimento de procedência animal) têm sido as alternativas mais procuradas por aqueles que querem se alimentar melhor. ”As vantagens de uma dieta vegetariana são verificadas por meio da menor propensão a doenças relacionadas com o excesso de consumo de proteínas e de gorduras saturadas – doenças cardíacas, níveis elevados de colesterol, câncer, envelhecimento precoce. Além disso, são evidentes os benefícios das fibras vegetais ao trato gastrointestinal”, afirma a nutricionista e professora da Universidade Federal de Pernambuco, Jaílma Santos. Ainda segundo ela, um dos aspectos pouco difundidos do vegetarianismo são aqueles relacionados aos benefícios da energia vital dos alimentos vegetais “vivos” (crus) que conferem uma sensação de vitalidade e são excelentes desintoxicantes do organismo e antioxidantes naturais.

Escondidinho de soja (à esquerda), berinjela à milanesa (centro) e moqueca de abobrinha (direita)
Escondidinho de soja (à esquerda), berinjela à milanesa (centro) e moqueca de abobrinha (direita)

Sentindo essa preocupação de grande parte da população, muitos restaurantes têm apostado na base de uma alimentação saudável, cada vez mais quebrando a lógica do fast food. Um exemplo deles é o Casulo – Comedoria Vegetariana e Cultura, que funciona há mais de um mês na Rua do Sossego. Para uma das sócias do restaurante, Tatiana Almeida, a principal proposta do espaço é tornar o ato de se alimentar uma hora sagrada, em que a pessoa possa realmente aproveitar o momento, sem o ritmo frenético que tem tomado conta da vida moderna. ”O Casulo vem com uma proposta de acolhimento. Aqui nossos clientes comem, descansam, escutam os passarinhos e uma boa música. Não só trocas de palavras, de sorrisos também”, afirma. Tatiana também comenta que o restaurante quer quebrar a ideia de que comidas vegetarianas só se resumem a legumes e verduras. “Apostamos no cardápio ovo-lacto vegetariano, o que dá um leque maior de possibilidades. Fazemos variadas receitas como tortas salgadas, preparos de soja e tofu e a já famosa feijoada vegana. Além disso, abrimos o espaço para happy hour e eventos, com bebidas, lanches e petiscos também vegetarianos ”.

Para parte da clientela que procura esse tipo de alimento, o ato de comer não se restringe só à questão da saúde, mas também significa um ato político. Para um dos clientes do Casulo, Alexandre Pires, essa atitude também traduz um posicionamento em face à produção sustentável da agricultura familiar e resgate dos hábitos e valores alimentares. ”Não basta também ter um alimento saudável e consumi-lo num ambiente como um shopping center. A proposta do Casulo segue uma tendência mundial de construção de outra relação com o mundo, com as pessoas e com o alimento. Recomendo para as pessoas que buscam isso, e que acreditam que essas opções ajudam a construir um mundo melhor”, conclui.

Comedoria Vegetariana & Cultura Casulo – O espaço fica localizado na rua do Sossego, 341, e funciona de segunda à terça das 12 às 15h e de quarta à sábado, das 12h às 22h. Mais informações pelo 3221-1783 ou casulocvc@live.com.