Tudo novo, um disparo, um jogo

Sonhei várias noites com a mistura disso tudo. Meu corpo diluído em acontecimentos funestos e pensamentos infindos. Fantasias incríveis e pequenos medos disfarçados de pormenores. Arrumei as malas e não pensei mais que duas vezes, duas vezes além de tantas outras, depois de tanto revirar arquivos e memórias. Não havia outra escolha a não ser colocar o dedo no gatilho e arriscar um disparo.

A consequência eu não sei, como não se adivinha jamais em que parte do tambor mora a última bala, como não se conhece o final de qualquer roleta russa. Dado o tiro, as consequências podem variar entre o fim completo ou um sofrimento descomunal, talvez uma paraplegia emocional… Contudo, otimismo é uma das minhas imensas virtudes, imagino uma nova memória. Depois da amnésia anterógrada, um mundo novo, quiçá com os mesmo personagens. Eu e você sem desacertos dessa vez. Olhei o espelho diferente hoje. Fui à rua. Comprei uma barra circular dois mil e seis, branca. Vou esperar o resultado disso tudo, pedalando.