O Rio e O Mar

Sei que sou o mar
e que sempre
chegarão ao meu leito
as tuas águas.

 

Mesmo que se afastem de mim
os teus pés
arrastados pelos tufões
ou retidos pelas calmarias
as tuas mãos
estarão sempre acenando
e lançando sementes
de comunhão e de retorno
ao meu sal.

Sei que sou o mar
que te recolhe.
E enquanto fores o rio
que me alimenta
será sempre a tua sorte
derramar no meu leito
as tuas águas.